Home Sobre o Médico Consentimento Informado Mucosectomia
DILATAÇÃO DE ESTENOSES DO APARELHO DIGESTIVO

A dilatação endoscópica, como o nome indica, tem como objetivo dilatar segmentos do tubo digestivo que tenham o seu calibre reduzido (denominadas estenoses). Esta diminuição do calibre habitual pode resultar de alterações do desenvolvimento do indivíduo (causas congênitas), de doenças naturais (neoplásicas e não-neoplásicas) ou devido a intervenções médicas (causas iatrogênicas).

A dilatação propriamente dita é conseguida através da introdução de um pequeno balão ou de um dilatador rígido após colocação de um fio guia através do endoscópio.

Rx. de Estenose Esôfago

Rx. de Estenose Esôfago


PREPARAÇÃO

A preparação necessária vai depender da abordagem endoscópica escolhida. Visto tratar-se de uma técnica invasiva com potencial de causar hemorragia, será necessário em alguns casos suspender a ingestão de alguns medicamentos que interferem com a coagulação. Muitas vezes as dilatações endoscópicas são efetuadas sob o efeito de anestesia, pelo que nesses casos poderão ser exigidos alguns exames e avaliação em consulta de Anestesiologia.

Estenose Esôfago, Visão Endoscópica

Estenose Esôfago, Visão Endoscópica


INDICAÇÕES

De uma forma não exaustiva, apresentamos de seguida algumas indicações para dilatação endoscópica, divididas por segmentos do tubo digestivo:

  • Esófago: Neoplasia do Esófago; Esofagite Cáustica; Esofagite de Refluxo; Acalásia; Anel de Schatzki
  • Estômago e Duodeno: Estenoses Pilóricas Malignas ou Benignas; Estenoses de Anastomose Cirúrgicas

  • CONTRAINDICAÇÕES

    Para além das contraindicações da via endoscópica escolhida, também existem algumas contraindicações relacionadas com a dilatação propriamente dita, nomeadamente a incapacidade de fazer passar um fio guia através da estenose, a dilatação de anastomoses cirúrgicas recentes ou a presença de uma perfuração.

    Dilatação de Estenose

    Dilatação de Estenose de Esôfago com Sondas

    Também está geralmente contraindicada a dilatação de lesões com hemorragia ativa ou em doentes com risco aumentado de hemorragia.


    COMPLICAÇÕES

    Para além das complicações inerentes à abordagem escolhida, existem algumas complicações atribuíveis à dilatação propriamente dita e que podem ser potencialmente graves ou mesmo fatais, refletindo o carácter invasivo do procedimento. A complicação mais frequente é a dor, com diferentes localizações consoante o segmento dilatado. A dor é habitualmente transitória e facilmente controlada com medicamentos.

    Dilatação de Estenose

    Dilatação de Estenose de Esôfago Com Balão

    Outras complicações importantes pela sua gravidade são a hemorragia e a perfuração. Geralmente estas complicações são resolvidas com técnicas endoscópicas ou terapêutica médica conservadora, mas, em último recurso, poderá ser necessário realizar uma cirurgia de urgência. Se o exame for realizado com sedação ou com anestesia há riscos específicos associados aos medicamentos utilizados nestas circunstâncias.

    Consentimento Informado Para Terapia Endoscópica